Declaração dos Jovens Líderes Latino-Americanos em Biotecnologia Agrícola e Técnicas de Inovação em Melhoramento Vegetal

 

A biotecnologia é uma ferramenta fundamental para aumentar a produtividade e a sustentabilidade na agricultura latino-americana. Todo o potencial da biotecnologia só será alcançado se os governos adotarem políticas favoráveis ​​para o desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias, nesse sentido declaramos:

 

  • Os indivíduos signatários deste documento se opõem às medidas proibitivas implementadas por alguns países em relação ao uso de Organismos Geneticamente Modificados e às técnicas de Inovação em Melhoramento de Plantas, sem levar em conta as evidências científicas que sustentam suas seguranças e seus benefícios.

 

  • As variedades de plantas que foram melhoradas usando a edição do genoma e que não têm uma nova combinação de material genético, não devem ser reguladas sob a mesma ótica dos Organismos Geneticamente Modificados (OGMs).

 

  • É essencial evitar distinções arbitrárias e injustificadasentre os produtos finais das Técnicas de Inovação de Melhoramento de Plantas.

 

  • Nos opomos às práticas levadas a cabo pelas organizações contra as inovações biotecnológicas na agricultura.

 

  • É essencial a promoção do uso das ferramentas oferecidas pela biotecnologia agrícola.

 

  • Osprodutores devem ter acesso garantido às novas ferramentas disponíveis para melhorar a produtividade e a sustentabilidade ambiental.

 

  • Que seja ratificada a declaração assinada por 138 Vencedores do Prêmio Nobel, em que se faz um apelo aos governos do mundo para que rejeitem as campanhas existentes contra o arroz dourado, bem como melhores colheitas através da biotecnologia vegetal.

 

  • Os governos precisam de estabelecer canais de comunicação com os agricultores e com a comunidade científica, para formular políticas públicas que favoreçam a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias pertinentes às necessidades específicas da região; reduzindo o atraso tecnológico.

 

Apelamos aos países da América Latina e do mundo para que os seus governos tomem decisões baseadas em evidências científicas e não em mitos ou desinformação.